Um pouco sobre mim

Minha foto

Tendo exercido atividades nas áreas de Administração de Bens, jornalismo, marketing, agricultura e mineração. Atualmente se dedica a produção de livros, tendo traduzido para o idioma português as obras: "Os Deuses Atômicos", "O Irmão Branco", "Fraternidade" e "AUM". É de sua autoria "O Livro da Lei para o Povo Suplicante". Pratica Astrologia Esotérica, ocultismo e exerce atividades como: escritor, palestrante e atividades sociais.

Idiomas

English French German Spain Italian Dutch Russian Hindi Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Um pouco sobre o Blog ...

Este Blog abrange todo o nosso aprendizado nestes 54 anos de estudos onde percorremos as escolas compreendidas pelo espiritismo, cristianismo, teosofia, budismo, zen-budismo, hinduísmo, rosa-crucianismo e gnose, não descurando da astrologia, astronomia e todas as ciências físicas com suas derivações.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

OS 12 TRABALHOS DE HÉRCULES


COMENTADO POR PANYATARA


Nos dias atuais, de forma sintomática, um grande número de pessoas se está aproximando de instituições esotéricas com o objetivo de fazer uma iniciação, pois consideram o ato imprescindível para consumar seus ideais superiores. Isto acontece a maioria das vezes sem que o postulante chegue a compreender o significado mais elevado do que está buscando e muito menos o que necessitaria par atingir seu desiderato.
Por outro lado as organizações iniciáticas acenam para os buscadores com instruções, práticas e aulas, bem como com a participação em rituais quase sempre pomposos que se constituiriam em aberturas para melhor facilitar o caminho iniciático do aspirante, porém, o fundamental, a maioria das vezes não chega a ser abordado como condições sem a qual nenhum pretendente chegará a conquistar níveis de consciência além daquele que já ostentava antes do ingresso nessas ordens esotéricas.
Em nossa vivência pessoal perlustramos por várias dessas organizações onde, não podemos negar os benefícios recebidos, pudemos aprender, por comparações e análises realizadas sempre com o intuito sincero de ultrapassar minhas próprias dificuldades lições que confirmaram a necessidade da síntese de toda essa experiência e que, acredito, me aproximaram da seguinte verdade: a iniciação real somente se realiza quando sinceramente compreendemos que os cânones libertadores estão dentro de nós mesmos e que sem uma transformação pessoal, onde o discípulo deve aprender a ornar seu caráter com os valores que já vêm sendo apregoados a milhares de anos por todas as religiões do Planeta nada conseguirá em termos de evolução.
Como um “ocultista” que não observa a máxima “Saber, fazer, ousar e calar” por ter sido proferido durante a época da Inquisição e não mais se ajustar as energias da Era de Aquário (“Quem tem ouvidos (para ouvir) ouça – Mt.13:9”), quando todos os verdadeiramente iniciados devem compartilhar tudo aquilo que receberam dos planos mais sutis para melhoria da Raça, considerei importante passar minhas considerações pessoais sobre  “Los Trabajos de Hercules”, da autoria de Alice A. Bailey, a fim de que ao menos possa alertar, para a sobriedade necessária, alguns dos respeitáveis, mas afoitos buscadores da verdade que pensam chegar a iluminação apenas porque fazem parte desta ou daquela Organização ocultista ou ainda, por vestirem roupas com adereços especiais, brandirem espadas e realizarem fenômenos que nada significam em relação ao propósito real e eterno de nossas vidas. Não abordo as práticas sexuais para não mexer em vespeiros, principalmente porque considero o assunto sagrado e até mesmo divino, portanto não deve ser conspurcado.
Na sequência dos trabalhos daquele que já seria um pretendente à verdadeira iniciação, pois seu roteiro não segue mais o curso do Sol de Áries para Peixes, mas de Áries para Touro até Peixes vamos encontrar o que realmente é necessário para nos liberar definitivamente da Roda das Encarnações e nos tornarmos valorosos Servidores da Raça; em Áries o domínio da mente, em Touro o controle de nossa virilidade, em Gêmeos o inicio do desenvolvimento do sentido de compaixão e amor ao nosso semelhante, em Câncer a conquista da Intuição, em Leão o domínio da libido em.... Por favor, leia as conclusões que apresentamos, pois no livro de Alice Bailey acredito que ela não pode dizer tudo o que agora procuro deixar claro para o verdadeiro buscador da Verdade.
Embora todos os conceitos emitidos façam parte apenas de minha experiência pessoal ficou claro para mim que este é o roteiro mais seguro para quem quer desenvolver Kundalini, embora respeite e considere todas as outras experiências tão válidas como a que obtive e, algumas provavelmente serão bem mais superiores. Posso apenas dizer que estou satisfeito com meu aprendizado. Considero-me apenas no vestíbulo da Iniciação humana, porém tranquilo e com metas definidas. Analise e compare você também e realize o seu caminho (12 trabalhos de Hércules) que será bastante diferente daquele que tenho trilhado, porém aprendi nos levará a conclusão que a experiência de cada um será diferente porque em nós é o próprio Logos Planetário que, através de nós está realizando sua INICIAÇÃO SOLAR. Sirva-se e medite.

Boa sorte!

PANYATARA


Para ler o Livro Online clique no link abaixo:
Os 12 Trabalhos de Hércules 


Ou, na barra lateral do blog “Livros Digitais para Download:" com a opção de baixar em PDF para o seu computador.

domingo, 16 de agosto de 2015

OS 7 RAIOS - Comentado por Panyatara

Gaia
Nossa intenção, é abordar o tema e fazer uma abordagem preliminar sobre as energias que chamamos os 7 Raios, que, devido a sua transcendência sobre nossas vidas, não podem mais ficar desconhecidos da humanidade.
Já existe um bom número de livros que abordam este tema e muita informação do assunto aparecerá sobre essa ciência nos próximos anos.
Toda a história da humanidade é o resultado dos efeitos das energias ou radiações conhecidas entre os Estudantes de Sabedoria Antiga como os SETE RAIOS.
Conforme eles agiram e agem sobre a vida planetária, sucederam-se os vários estágios daquilo que conhecemos por evolução.
O que conhecemos por sabedoria esotérica originou-se da necessidade que o homem teve de conhecer as energias dos Sete Raios para compreender a si mesmo e trabalhar consoante suas forças superiores, pois elas são avassaladoras e independem dos propósitos pessoais do homem, que, no estágio atual da evolução, mais se contrapõem aos seus desígnios do que colaboram para que o Plano de Deus se cumpra para o Planeta e o sistema solar.
Eles agem incessantemente sobre a humanidade; produzem mudanças, expressam-se através de sucessivas civilizações e culturas e criam as raças e nações.
Cada criatura vivente, desde o homem até a mais simples ameba, responde a essas energias de acordo com o seu desenvolvimento mental e espiritual, tal como o fazem as nações e as raças como um todo.
Para entendermos um pouco sobre o assunto precisamos levar nossa imaginação para uma abordagem completamente diferente daquilo o que vínhamos considerando ser Deus e ampliá-la um pouquinho mais. Hoje, a maioria já começa a conceber um Princípio que teria gerado todo o Universo, tanto o conhecido, que é apenas uma mínima fração de expressão dessa Divindade, como aquele que se manifesta nos vários graus de consciência ainda não percebidos pela mente humana.
Para compreender apenas uma parcela da grandeza da matéria em estudo, deveríamos procurar conhecer as forças que interagem na formação de nossa Galáxia, entretanto, como isso ainda não nos é possível, vamos nos limitar um pouco mais e nos circunscrever apenas a 7 Sistemas Solares, dos milhões que a compõem, onde o nosso sistema solar é um deles.


Os Sete Logos:
Aquele de Quem 
nada se pode dizer


1º RAIO - VONTADE E PODER

2º RAIO - AMOR-SABEDORIA

3º RAIO - INTELIGÊNCIA ATIVA

4º RAIO - HARMONIA E BELEZA

5º RAIO - MENTE CONCRETA E CIÊNCIA

6º RAIO - DEVOÇÃO E IDEALISMO

7º RAIO - CERIMONIAL E MAGIA

Para continuar lendo o artigo e ter acesso ao arquivo em PDF clique abaixo no link:
Os 7 Raios




Ou se preferir, na barra lateral do Blog em "Nossas Postagens", com opção de baixar em PDF, para o seu computador.




Panyatara em junho de 2015



terça-feira, 11 de agosto de 2015

Nota sobre o desencarne de Jayr Rosa de Miranda (Panyatara)



Prezados Leitores do Blog,

Venho comunicar que, o nosso amigo Mestre Jayr Rosa de Miranda, no mês de julho, retornou ao plano espiritual para continuar seu trabalho de ajuda à humanidade de uma maneira mais sutil, hoje livre do seu corpo físico.

O segundo momento de brilho acontece como o reverso deste processo e proclama o período de restituição e a abstração final da sua própria energia intrínseca pela Alma. A morada aprisionadora de carne é dissolvida com a retirada da luz/vida. Os quarenta e nove focos no interior do organismo físico se extinguem. Seu calor e luz são absorvidos pelos sete centros maiores de energia. Então a “Palavra de Retorno” é pronunciada e o aspecto-consciência, a natureza da qualidade, a luz e energia do homem encarnado são retirados para o corpo etérico. Da mesma forma, o princípio da vida retira-se do coração. Segue-se uma brilhante fulguração de pura luz elétrica e o “corpo de luz” finalmente extingue todo o contato com o veículo físico denso focalizando-se por um curto período no corpo vital e, a seguir desaparece. O ato de restituição foi completado. (Panyatara, 2014, Revelando os Mistérios do Oculto)

Sou amiga e aluna do Jayr, ficamos juntos envolvidos nos estudos e no trabalho social por alguns anos, nesse tempo criamos este Blog: “Revelando os Mistérios do Oculto”, onde podemos inserir seus artigos e ensinamentos. Editamos o Livro O Conde de Gabalis, os livros que estão no Blog também trabalhei na revisão e formatação, e agora estou trabalhando na edição dos mesmos. Fiquei ao seu lado nos grupos, de estudos e do trabalho social. Tive a grande oportunidade de desfrutar momentos de aprendizado ao seu lado, agregando em mim os seus valores e seus átomos num todo.
Jayr foi um exemplo de vida, sua sabedoria transcendia nossa mente concreta, um Mestre que aplicava na sua vida pessoal tudo que ensinava.
Sou uma discípula fiel, amiga, buscadora, aspiro a verdade e o saber. Identifiquei N’Ele meu Instrutor, me entreguei aos seus ensinamentos e fiquei ao seu lado durante esses anos bebendo de sua sabedoria.
Por isso, pretendo continuar gerenciando e inserindo no Blog seus artigos e seus estudos, solicitação dele ainda presente aqui fisicamente.
Ele deixou um material rico, no qual veio escrevendo e trabalhando durante todos esses anos.
Terei a satisfação de dividir esses valores com quem realmente aspira a transformação interna, com quem tem a sensibilidade de transcender alguns assuntos, como: “A Vida no Centro da Terra”..., para aqueles que acreditam que somos “Deuses”, para os verdadeiros estudantes do ocultismo, da verdade e do amor puro, do amor que transcende nossos corpos inferiores, nos dando a segurança de acreditar que somos Almas/Espíritos, que somos “Luz”.
Aprendi com Ele, que nossa missão aqui na Terra é compartilhar e transmutar a sabedoria dos Grandes Mestres para que possamos realmente aplicá-la aos nossos irmãos de Humanidade, sempre trabalhando no bem para o nosso crescimento espiritual, com a ajuda e o propósito Deles!

Informo que a próxima postagem vai abordar sobre um tema extremamente importante para o nosso momento atual.

Meu abraço sempre fraterno,
Adriana Calheiros
Namastê!

Também compartilho meus contatos:
E-mail:
Telefone:
(21) 99885-4933
Redes Sociais:

Compartilho essa mensagem, escrita por um amigo do Jayr, um dia depois do seu desencarne. Sabedoria e sensibilidade nas palavras.

“O nosso Irmão Jayr ensinou-me inúmeras lições que espero tê-las introjetado.
Talvez a mais significativa, nesse momento, seja a definição de AMOR.
AMAR a um SER é querer sempre o melhor para ele. Assim, não é desejarmos prendê-lo, mas libertá-lo para que alce sua caminhada em PAZ.
Seria egoísmo querer que o Jayr continuasse junto a nós. Amá-lo é deixá-lo partir para seu descanso da carne e para uma nova caminhada no mundo espiritual.
Tenho certeza que quando chegar nossa hora de desencarne ele estará junto a nós auxiliando-nos na transição.
Mas agora devemos deixá-lo partir sem dor. Querer lamentar ou prendê-lo seria um ato de egoísmo para com um SER que tanto nos auxiliou.
E a nossa gratidão? E a lição de AMOR?
Há muitos anos o Jayr encontrou-me perdido na caminhada e reorientou-me.
Da consciência do INTIMO, ao passo de doação que em um determinado momento termos que assumir, que são ensinamentos contidos no seu Livro "O Conde". O Jayr nos despertou para todo esse novo mundo, que aos poucos nos afasta do mundo da ilusão.
Mais ainda, ele foi a primeira pessoa na minha vida que eu consegui antes de seu desencarne, agradecê-lo de forma clara por tudo que me ensinou e pelos novos caminhos que aos poucos vou descobrindo e reorientando-me.
Mais ainda, ensinou-me com seu exemplo pessoal que a família era um excelente lugar de aprendizado e que os filhos eram seres com suas próprias peculiaridades, que deveriam ser respeitadas, mas não necessariamente comungadas.
E a lições no mundo espiritual!!!!
Bem Adriana, do Jayr somente guardo gratidão. Sem exagero ele foi um anjo da guarda para mim.
Quantas vezes deparava-me com determinada situação e não sabia bem como agir, quando de repente, do nada, chegava um e-mail despretensioso, dando uma dica sobre aquela situação.
Que o nosso querido Irmão, que muitas vezes foi um PAI para mim, alce seu merecido voo a um novo plano espiritual, porque sua missão de ensinar a AMAR foi plenamente bem sucedida.
Espero que vocês continuem agregados nessa busca e, por favor, não se esqueçam de mim.
AMAR É QUERER O MELHOR PARA O OUTRO, e vê-lo com sua missão cumprida e muito bem cumprida, caminhando junto com Irmãos Harmônicos para mim é um presente.
Embora triste, mas também alegre por ele, recebo essa notícia do nosso Querido Irmão Jayr como um presente de meu aniversário, pois hoje completo meus 65 anos. Vê-lo caminhar é um presente para mim.
Que siga pleno de luz Jayr!!!!!
Obrigado por tudo.” (Rogério Braga Silveira)



domingo, 30 de novembro de 2014

AOS ESTUDANTES QUE BUSCAM PARA CONHECER A VERDADE

Aos estudantes que buscam para conhecer a verdade:
Considerando certas disposições e o posicionamento de alguns irmãos que nem sempre vão a fundo na busca de valores para sua superação e aceitam instruções que, muitas vezes, partem de instrutores que não são consagrados pelas verdades que pregam e, apenas para estudo e comprovação da necessidade de se tomar o maior cuidado na Senda Iniciática, onde não existe atalhos e o caminho nos obriga a renovação de caráter antes de buscar poderes que somente os possuem aqueles que não precisam utilizá-los, porque eles mesmos se tornam estes poderes por causa  da humildade que orna seus caracteres e, também sem querer polemizar com os adeptos desta ou daquela filosofia resolvi, á titulo de serviço prestado, passar adiante o que está no arquivo anexo, que pode orientar alguns e, espero, comprovar a alguns outros que a verdade é mais importante do que a fascinação. Já aprendi que o “Faz o que tu queres” é um direito inalienável da personalidade em evolução. Com o arquivo anexo estou propondo apenas que se tome conhecimento de um adepto da gnose que, dentro de suas razões pessoais (verifiquei todas e posso afirmar que estão consubstanciadas nas obras que estão citadas!) abandonou a “fascinação mental” direcionada a seu líder e começou a pesquisar a verdade por si mesmo, como todos deveriam fazer, pois, enquanto não desenvolvermos certas características do que denominamos “mente” em nós mesmos, sempre seremos cativos (escravos mesmo!) das proposições das “mentes” dos outros. Acresce que o Avatar da Nova Era (Era de Aquário), de acordo com informações insuspeitas provinda da G.F.B. seria o Conde de Saint Germain, que vem trabalhando há centenas de anos para a melhoria de nossa humanidade, com presença física em várias lojas verdadeiramente Maçônicas na Europa, em épocas diferenciadas, muitas vezes por dezenas de anos, mas sempre se apresentando- com a mesma aparência física, sem denotar envelhecimento (http://pt.wikipedia.org/wiki/Conde_de_St._Germain). Acresce que os verdadeiros instrutores (Mestres da G.F.B.) para a Era de Aquário trabalham veladamente e hoje existem dezenas deles utilizando corpos físicos sem que possamos identificá-los, porque estes seres jamais chamam a atenção para si mesmos e pautam suas atitudes pelo respeito as Leis Universais (entre elas o respeito ao livre arbítrio humano e os ensinamentos existentes há milhares de anos através dos símbolos e instruções nos livros religiosos e, para o Ocidente, sintetizados há centenas (alguns, milhares) de anos nos livros denominados Bíblia, Evangelhos (embora mutilados, ainda ficou o principal, sendo que o que foi modificado é facilmente accessível através da intuição!), Alcorão, Bhagavad Gitâ, etc. etc., onde as mensagens para a Era de Aquário já estavam enunciadas).  O Anexo não é de minha lavra; apenas o traduzi e verifiquei a veracidade da argumentação do autor e como ele pode ser útil para muitos, resolvi torná-lo accessível aos que têm a mente aberta, pois todos nós morreremos um dia (passaremos para outros planos de manifestação da vida) e esta fase de nossa existência, além de não dar direito a um retorno com o mesmo corpo para justificar erros e enganos, nos leva, muitas vezes, para estados de sofrimento tenebroso por causa das escolhas que fizemos nesta vida, principalmente aquelas retratadas nos seguintes trechos de Mateus 7:15 e 7:19,20: “Acautelai-vos dos falsos profetas que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes. Toda árvore que não produzir frutos bons é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis”.
A religião da Nova Era é o conhecimento de si mesmo baseado na instrução de que “O EU SOU É A LUZ DO MUNDO”. O desenvolvimento de nossa percepção interna, nos permitindo reconhecer que cada Ser humano é um Deus em ação afastará nossa vida da dependência de outras mentes e estabelecerá um mundo de fraternidade e cooperação entre todas as criaturas, porque este conhecimento fará com que os “ismos” religiosos percam sua utilidade e desapareçam da face da Terra. A escravidão religiosa atrasa o desenvolvimento espiritual do ser humano. Com a libertação conquistada, as energias da Árvore Qliphótica (não são seres!) não encontrarão mais guarida na vitalidade existente no campo áurico dos seres humanos e, por causa disso, perderão seu poder de proporcionar as ilusões que afastam o Ser Humano da Verdade (Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará! – João 8:32). 
Não se pode deixar de reconhecer o acervo de conhecimentos proporcionados pelas obras trazidas à nossa instrução por Samael Aun Weor, todavia, muitas vezes, sua interpretação pessoal de textos simbólicos de obras clássicas não conseguiu chegar a alcançar o cerne da mensagem ali contida, ficando deformada, demonstrando o perigo de interpretações com entendimento falso daquilo que é básico em ciência espiritual, na qual se fala da importância das energias sexuais na iluminação da consciência humana sem que haja compreensão do véu estendido sobre esse saber, unicamente com a finalidade de afastar os incautos de perigos inimagináveis que a pretendida sabedoria de alguns “Mestres”(?) sobre o assunto se tornasse uma religião que entroniza o sexo como libertador da consciência humana, a ponto de tornar o coito como o único caminho para a ascensão de Kundalinî, quando isso é apenas meia verdade e interpretação errônea das figuras alquímicas, onde a energia solar (Pingalã) e a energia lunar (Idã) são representadas por um homem e uma mulher como opção a uma percepção superior, ou seja, que todo homem e toda mulher possuem a energia de ambos os sexos dentro de si (somos andróginos por natureza – Gen.1:26: Façamos o homem (o ser humano) a nossa imagem e semelhança), inclusive seus aparelhos genitais são caracteristicamente similares, a mulher possuindo até mesmo um pênis atrofiado, que é o seu clitóris) e é somente desenvolvendo a harmonia transcendente dentro de si mesmo, através do conhecimento dos ares internos (os externos são os 5 tattwas) que Kundalinî pode ser despertada. O Tantra iluminador pode ser compreensível no trecho evangélico de Mateus (19:12) no texto: “Porque há eunucos de nascença; há outros que os homens fizeram tais  e há outros que a si mesmo fizeram eunucos por causa do Reino dos Céus. Quem é apto para o admitir, que o admita!. Não é fazendo sexo com uma mulher externa que o trabalho é realizado, mas na união de nossas energias feminina e masculina internas e, para isto, é preciso estar pronto para que o Mestre apareça e oriente os trâmites exigidos.
Aqueles que denominamos desrespeitosamente como “gays” estão mais perto destas verdades do que podemos imaginar e é sempre bom lembrar que Leonardo Da Vinci Rafael, Michelangelo, Isaac Newton e muitos outros que se fizeram notar por suas excepcionais qualidades intrínsecas a essa forma de expressão da vida foram os grandes notáveis da humanidade e continuam despontando como o melhor costureiro, o melhor cozinheiro, o melhor cabeleireiro, etc., etc.
Agora pergunto: Já adquirimos as virtudes que nos permitam passar pelos 7 portais? Sem elas, não vamos criar um rabo denominado por Samael como Kundartiguador, mas a liberação das energias de Kundalinî sem as virtudes preconizadas nos livros sérios sobre o assunto, naturalmente exaltarão todas as energias negativas (bem como as positivas) que ainda possuímos em nossa manifestação pessoal e, aí sim, podemos realmente nos transformar numa besta humana, o que atrasará nossa evolução e provocará grandes sofrimentos quando desencarnarmos. Na obra “A Voz do Silêncio” (Fragmento 1- versic. 69) diz assim: “Há apenas um caminho para a Senda e somente no seu final se pode ouvir a Voz do Silêncio. A escada pela qual ascende o candidato é formado de degraus de sofrimento e dor, que só podem ser aplacados pela Voz da Virtude. Ai de ti, discípulo, se restar um vício que não tenhas deixado para trás”.
Quero deixar claro que considero a obra de Samael muito importante, tendo inclusive me servido de seus livros para estudar muitos assuntos nela abordados, porém, como o autor do anexo deste e-mail, também comecei a pesquisar e pude ver que era preciso tirar o pessoal de sua obra para poder me aproximar mais das verdades que buscava. Não sou um sábio nem mestre de qualquer coisa, porém acho importante que todos devem buscar por si mesmos, pois os atalhos sempre nos fazem retornar ao ponto inicial de nossa caminhada. Se chegarem a compreender que o eu sou das afirmações religiosas deve ser antecedido do artigo definido masculino “O” a fim de que revele a verdade esotérica das religiões atuais, tudo ficará mais claro para o bem de todos, ou seja, “O EU SOU é o amor no coração dos amantes e a sabedoria dos Sábios” e “O EU SOU é a Luz do mundo”. Meu trabalho tem sido tentar ser seu veículo no serviço à humanidade.

Panyatara


Clique aqui para ler o artigo: Porque saí da Gnose 

Ou;

Para baixar o artigo clique na barra lateral do blog “Postagens Publicadas para baixar em PDFcom a opção de baixar em PDF para o seu computador.

 

domingo, 9 de novembro de 2014

Livro AUM - A Palavra de Poder


Clique para ler o Livro:
 AUM - A Palavra de Poder
O conceito da "verdade" vem desafiando a humanidade por milhares de anos. Filósofos da antiga Grécia debatiam a natureza da verdade. Eles discutiam se ela era real e absoluta, ou relativa e ilusória. Suas dúvidas podem ter sido refletidas numa questão de Pilatos: "Que é a verdade?" (João 18:38).
Hoje, a mesma pergunta surge continuamente em várias situações. É de vital importância que achemos a resposta para esta pergunta principalmente na área de religião, onde cada seita, doutrina ou até mesmo postulado filosófico costuma se dizer dono da Verdade, impondo-a sobre seus seguidores como “camisas de força” que impedem outras formas de, pelo menos, testar se aquilo que se está defendendo como verdade é realmente inabalável. Sempre fica o questionamento: O que é verdadeiro? Posso conhecer a verdade?
Para nos ajudar a responder a estas questões, vamos focalizar nossa atenção no versículo 8:32 do Evangelho de João: nele Jesus diz: "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará [1]." Considerando as implicações desta afirmação teríamos que admitir apenas uma verdade, porém, como tantos podem empunhar, indiferentes às alheias, verdades tão diversas como diversas são as religiões e filosofias existentes na face da Terra?
Nosso propósito em relação a este Blog sempre foi e continuará sendo expor os diversos aspectos da Verdade, independente de dogmas religiosos ou de ponto de vista filosóficos, daí que não poderíamos furtar nossos visitantes da oportunidade de conhecer o trabalho exposto no livro AUM  - a Palavra de Poder, de autoria de Omar Cherenzi Lind e que traduzimos para o idioma português, apesar do autor estar no “índex [2]” da Gnose e de alguns gnósticos como Mago Negro, embora não mereça este rótulo por causa de sua incapacidade na arte de fazer prevalecer sua vontade perante seus detratores.
Ao entregar esta obra aos estudantes da Sabedoria Real não posso deixar de reconhecer os benefícios que sua leitura nos proporcionará e tenho a certeza de, com a mesma, estou acenando com mais uma chave que abre uma das diversas portas que nos coloca perante o Supremo Santuário da Verdade. Examinem com cuidado as informações contidas no livro e decidam, por vocês mesmos, sem depender de qualquer julgamento estranho, o valor da obra.
Façam bom proveito.
Panyatara

Para ler o Livro Online clique na barra lateral do blog “Livros Digitais para Download:" com a opção de baixar em PDF para o seu computador.








[1] Quando O Mestre Jesus proferiu a célebre frase “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará se referia ao Cristo Interno de cada Ser humano.
[2] Catálogo que relaciona livros proibidos.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

DIÁLOGOS ESOTÉRICOS


Por causa da natureza deste Blog muitos estudantes têm nos cumulado com suas perguntas buscando respostas para assuntos nem sempre encontradas na Internet nem, tampouco, na multidão de livros que procuram, seriamente, iluminar nosso entendimento espiritual. Na busca para atender, temos aprendido bastante com os questionamentos sérios a que temos sido submetidos e, dentro de nossos limites  pessoais, sabendo que, dentro de cada cabeça uma sentença, estes diálogos, inclusive abordando experiências pessoais ricas em símbolos que poderiam, também,  enriquecer o entendimento sincero de outros  estudantes com vivências e dúvidas semelhantes, resolvemos colocar um canto em nosso Blog para questionamentos que possam somar em nossas buscas e possibilitar, também, àqueles que buscam seriamente, uma oportunidade de servir aprendendo, como é nosso caso pessoal, embora saiba que a melhor forma de aprender é entrar em contato com meu SER INTERNO.

Panyatara


Para ter acesso aos arquivos em PDF clique abaixo no link
Parte I - Diálogos Esotéricos
Parte II - Diálogos Esotéricos


Ou se preferir, na barra lateral do Blog em "Nossas Postagens", nos itens Parte I e Parte II com opção de baixar em PDF, para o seu computador.


terça-feira, 21 de outubro de 2014

POIMANDRES

POIMANDRES

(Comentado por Panyatara)

Aqueles que realmente buscam a Verdade não podem deixar de ler e estudar a obra “Corpus Hermeticum” que teria sido escrita por Hermes Trismegistos, constituída do Discurso de Iniciação do próprio Hermes Trismegistos e d”A Tábua de Esmeralda.
No primeiro Capítulo do livro temos o colóquio entre Poimandres, o Noûs (Mente Divina) de Hermes e o próprio, cujos trechos mais simbólicos procuramos comentar para facilitar o entendimento da mensagem que ele encerra.
É interessante observar que o livro OS DEUSES ATÔMICOS fala detalhadamente de Poimandres como a Átomo Noûs, existente no ventrículo esquerdo de cada coração humano e o Mestre M. ensina, através do que denomina Ioga Ocidental, uma fórmula prática para acessar a sabedoria nele existente.
Nesta abordagem do primeiro capítulo do livro, onde Poimandres revela a Hermes Trismegistos a sabedoria que o transformará no arauto da Verdade para épocas futuras, a mensagem que todos devemos procurar compreender, porque nela existe o verdadeiro fundamento de nossa vida na face da Terra, é a oportunidade que temos para colaborar na transformação, não somente nossa, mas de toda a humanidade.
É importante também verificarmos que desde épocas remotas nos tem chegado a mesma mensagem (o EU SOU é a única realidade em nossas vidas) confirmando e comprovando os ensinamentos de Rama, de Krshna, de Buda e de Jesus, todos procurando direcionar a mente e a ação dos seres humanos para uma realidade que precisa ser observada, tanto para melhorar as condições de vida do ser humano na face da Terra, como para evitar os sofrimentos e vibrações terríveis de sofrimento e frustração dos mesmos quando se despem do corpo de carne e se encontram no outro lado da vida despreparados para enfrentar as consequências de suas atitudes enquanto encarnados, por terem dissipados existências inteiras sem nada produzir para se aproximar desse Ser maravilhoso que mora em nossos corações e tenta nos ajudar a vencer nossa própria ignorância. Todos temos um Poimandres dentro de nós e o mesmo arde em amor para nos ajudar a conquistar nossa emancipação total da dor e do sofrimento. Examinem cada palavra do que está escrito e aqueles que desejarem fazer perguntas, ou melhor, trocar ideias comigo sobre a forma em que estão expostas as verdades iniciáticas neste livro, podem ficar na certeza de que terei imenso prazer em discutir o assunto, naturalmente dentro de minhas limitações.
Geralmente o estudante “gosta apenas de saber das coisas”, porém o objetivo da Ciência Espiritual é torná-lo consciente de que é, na verdade, o morador de um corpo material que putrefará quando a Vida (o Espírito) abandonar este invólucro ao qual está tão identificado que não percebe que ele não é o Corpo, mas a Vida que o anima. Minha experiência de vida, embora saiba que só servirá para mim mesmo diz: Acorde, meu irmão! Vale a pena pelo menos tentar se identificar com sua Realidade interna. Ela te ama e, ao primeiro sentimento de sua aspiração sincera, ela fará um esforço inaudito para envolvê-lo em seu amor. Fuja das ilusões provocadas pela mente e desenvolva sua intuição; verá que existem outras formas de saber e, o espiritual, só nos chegará quando aprendermos a confiar na sabedoria de nosso Homem Interior do coração (1Pedro 3;4:..seja, porém, o homem interior do oração unido ao incorruptível de um espírito manso e tranquilo que é de grande valor diante de Deus).

Panyatara


Para ler o Artigo Poimandres em PDF clique abaixo com a opção de baixar em PDF para o seu computador.

https://sites.google.com/site/corpushermeticumpoimandres/

terça-feira, 14 de outubro de 2014

INSTRUÇÕES PARA DESPERTAR A INTUIÇÃO

INSTRUÇÕES PARA DESPERTAR A INTUIÇÃO


A intuição pode e deve ser desenvolvida de muitas e diversas maneira e, uma das mais uteis e efetivas formas é o estudo e a interpretação dos símbolos.
Símbolo é uma figura gráfica que representa abreviadamente uma ideia consciente que encerra uma ideia inconsciente. Os símbolos constituem a forma externa e visível das realidades espirituais internas e quando o estudante obtém a facilidade de descobrir a realidade que se acha em qualquer forma específica, significa que começou a despertar a intuição e perceber além do que a mente tem possibilidades de apresentar à sua consciência espiritual.
A simbologia é uma forma de linguagem, trazida pelos seres da evolução dévica ou Angélica, com a finalidade de permitir ao homem alcançar, através de “insights”, a compreensão de certas verdades que ultrapassam os meios do entendimento comum.  Tem servido também para a preservação de informações que não devem ser escritas nem faladas, mas que precisam ultrapassar os séculos e as culturas.
O estudo dos símbolos é fundamental para se conquistar a intuição e quando é realizado com fé e constância, concede, ao buscador, o seguinte:
a) Desenvolve o poder de penetrar por trás da forma e chegar à realidade subjetiva apresentada pela mesma.
b) Produz uma estreita integração entre alma-mente-cérebro que, uma vez conseguida permite que a intuição ocorra com mais frequência, portanto concedendo iluminação e a aproximação da verdade.
c) Exerce pressão sobre certas zonas adormecidas do cérebro, ativando as células cerebrais, sendo esta a primeira etapa na experiência do estudante. Esta etapa desperta, na maioria dos estudantes, o centro entre as sobrancelhas, enquanto que o chacra no topo da cabeça vibra de forma muito suave, porém sem entrar em completo funcionamento. 

Quando busque desenvolver a intuição é extremamente importante que o estudante, em suas práticas, mantenha ante si e como meta principal, o propósito de chegar ao conceito subjacente em qualquer símbolo que estude. Dito conceito sempre deve ser sintético, não podendo ser detalhado nem desmembrado, embora talvez possa se chegar a ele pelo estudo dos detalhes e o significado de algumas partes ou frações do símbolo em consideração. Contudo, quando finalizar a análise não deve sentir-se satisfeito até haver resumido o significado do símbolo numa ideia, conceito, significado ou nome sintético. 

Os símbolos devem ser estudados de três maneiras:

1ª.) Exotericamente - Isto envolve o estudo de sua forma, suas linhas, seu significado numérico, seus valores e, também, suas formas secionais, ou seja, suas modificações, como, por exemplo, cubos, triângulos, estrelas e sua mútua inter-relação. 
2ª.) Conceitualmente - O objetivo é chegar à ideia subjacente que pode estar expressa no nome do símbolo ou em seu significado total ou parcial. Esta ideia deve surgir na consciência do estudante através da meditação. Enquanto realiza esta prática o estudante deve recordar que a ideia implica na intenção abstrata ou superior do símbolo; que o significado dele é essa intenção expressa em termos de mente concreta; que seu significado é mais próximo da qualidade emotiva e pode se dizer que constitui o tipo de desejos que desperta no estudante. 
3ª.) Esotericamente – Implica o efeito que produz a força ou energia e a qualidade de vibração que poderia despertar em algum dos chacras, talvez no corpo astral ou somente na mente.
Quando este estudo é empreendido corretamente, conduz inexoravelmente ao desenvolvimento da intuição e sua conseguinte manifestação no plano físico como iluminação, compreensão e amor. 
Em primeiro lugar o objetivo do estudo do simbolismo é capacitar o estudante para sentir sua qualidade e fazer contato com esse algo vibrante que se acha por trás desse conjunto de linhas, cor e forma, do qual o símbolo está composto. 
Para algumas pessoas este estudo resulta relativamente fácil, porém não para a maioria, o que indica a ausência de algo que deve ser conquistado pela Alma, empregando faculdades que, na atualidade, estão adormecidas. Sempre é desagradável despertar qualquer faculdade latente e isto requer grande esforço e determinação para que o estudante não seja desviado pelas reações naturais de sua personalidade, sempre acomodada ao seu estado atual, não achando necessário fazer esforços por algo que não conhece bem e, às vezes, não vê sua utilidade dentro do processo de vida normal. 
Muitos estudantes consideram difícil compreender em que forma o desentranhamento do significado de um símbolo pode proporcionar o meio adequado para colocar em atividade funcional as adormecidas faculdades búdicas ou intuitivas, entretanto, a leitura de símbolos ou “leitura espiritual” já era considerada por Patanjali uma arte difícil, mas necessária. 
O poder para interpretar símbolos sempre precede à verdadeira revelação. Captar a verdade representada por uma linha ou uma série de linhas que compõem uma forma simbólica não é tudo o que se tem de fazer. Uma boa memória pode lembrar que uma série de linhas, formando um triângulo ou uma série de triângulos significa a Trindade ou qualquer série de triplicidades dentro da manifestação macro ou microcósmica. 
Porém essa atividade e exatidão da memória de nada servirão para despertar as células cerebrais adormecidas ou para ativar a intuição. O estudante deve recordar (e aqui se faz evidente o valor de certo conhecimento de ocultismo acadêmico ou técnico) que o plano onde se manifesta a intuição e se acha ativa a consciência intuitiva é o plano búdico ou intuitivo. Dito plano é a analogia superior do astral ou emocional, o plano da percepção sensória através de uma sentida identificação com o objeto da atenção ou atração. 
É evidente, portanto que quando se deseja ativar a faculdade intuitiva pelo estudo de símbolos, o estudante deve sentir ou estar, em certa forma, identificado com a natureza qualitativa do símbolo e com a natureza dessa realidade que a forma simbólica oculta. Deve, portanto, procurar estudar esse aspecto da leitura de símbolos. 
O estudante deveria investigar, por conseguinte, depois de ter estudado devidamente o aspecto forma produzido pelo símbolo, que tipo de sentimento evoca em si, que aspirações desperta e que sonhos, ilusões e reações registra conscientemente. Esta é a etapa intermediária entre a leitura exotérica do símbolo e a compreensão conceitual. Depois existe outra etapa posterior, intermediária entre a compreensão conceitual e a captação e aplicação esotérica, a qual se denomina “reconhecimento sintético”. 
Tendo estudado a forma e percebido seu significado emotivo, deve passar para a etapa em que é captada a ideia básica do símbolo e, dali para a compreensão sintética de seu propósito. Isto conduz ao verdadeiro esoterismo, que é a aplicação prática de seu sintético poder vital às origens da vida e da ação individual. 
É importante que o estudante compreenda que, apesar de nossa linguagem parecer rebuscada e de difícil compreensão, basta que se decida realmente “a buscar com sinceridade” desenvolver esta aptidão de sua mente, que sua Alma, onde realmente está a compreensão sintética dos símbolos, lhe proporcionará esta abertura conceitual da mente para que chegue à compreensão intuitiva das mensagens contidas nos mesmos. 
Continuando, é importante que o símbolo não somente seja interpretado de forma inteligente, mas, também, seja reconhecida sua reação mais sutil sobre o estudante e, por conseguinte, sua sensibilidade sensória para com o símbolo. O principiante deve, por uma questão de disciplina, primeiramente começar estudando alguns símbolos por ano, encarando-os desde seu aspecto forma, procurando se familiarizar com seu aspecto externo, linhas, triângulos, quadrados, círculos, cruzes e outras formas que possam compô-lo, esforçando-se por compreendê-lo intelectualmente, para isto empregando a memória e o conhecimento possuído para interpretá-lo exotericamente, entretanto sem a preocupação de entendê-lo em todo o seu significado, pois isto acontecerá paulatinamente, mas de forma inexorável. 
Enquanto se familiariza com o símbolo e, sem esforço, deve sempre lembrá-lo, procurando perceber sua qualidade, fazer contato com sua vibração e observar o efeito emocional que o mesmo produz. Isto pode variar cada dia ou permanecer invariável. Observe sua reação pessoal para o símbolo e procure perceber para onde estas vibrações o conduzem, lembrando sempre que elas não provêm da intuição, mas que são reações do corpo sensório ou astral. 
Finalmente, deve tomar nota do que vai se constituindo para ele a qualidade básica do símbolo; depois (da mesma forma que na meditação) deve elevar o tema ao reino da mente, concentrando-se no mesmo com a mente atenta e enfocada. Isto objetiva levar o estudante ao reino dos conceitos. 

O estudo dos símbolos envolve três etapas:

1º - Investigação do símbolo e o conseguinte progresso daquele que analisa, de uma etapa de percepção a outra, até incluir gradualmente todo o campo que abarca o símbolo.
2º - Percepção intuitiva dos símbolos que se observam em todas as partes na divina manifestação. A compreensão do aluno faz com que ele veja além do que está à sua frente, seja em trechos de escrita comum, em parábolas e símbolos consagrados. 
3º - O uso de símbolos no plano físico e sua correta adaptação ao propósito, visto e reconhecido, conduz conseguintemente a magnetizar o símbolo com a qualidade necessária, por meio da qual a ideia pode fazer sentir sua presença, a fim de que a ideia intuída e qualificada encontre uma forma correta no plano físico. 
Geralmente o estudante quer participar dos poderes do espírito, mas não se dá conta da necessidade de estudar, interpretar e penetrar até o significado mais recôndito do que se lhe depara na vida e que isto é que acrescenta progresso espiritual. Cabem aqui algumas perguntas: O que existe no mundo objetivo que não seja um símbolo adequado de uma ideia divina? O que possuímos, em nossa manifestação externa, que não seja o sinal visível do plano da Divindade criadora para cada um de nós? O que somos senão a expressão externa de uma ideia divina? 
Devemos aprender a ver os símbolos em nosso entorno e depois penetrar em sua compreensão até chegar a ideia que ele deve expressar. O assunto é longo e somente será compreendido quando o estudante começar a se tornar verdadeiramente intuitivo, pois começará a “ver” não mais somente com a mente, mas com o coração. 
É importantíssimo que o estudante compreenda que, embora a intuição seja um dos cinco estágios da mente capaz de ser compreendido pelo ser humano (físico, astral, mental, intuicional ou búdico e akáshico), nosso atual estado de evolução se realiza num universo de característica puramente mental (BRAHMA É MENTE), daí que a intuição somente poderá ser percebida através de insights mentais, embora ainda esteja sob a avaliação da mente lógica, restritiva e formal em sua dicotomia consciencial e sujeita também ao conhecido “efeito einstellung”, ou seja, de somente aceitar conceitos já conhecidos e estabelecidos como “verdades”, embora de caráter pessoal. 
Para ajudar na preparação daqueles que aspiram ardentemente “fugir” do efeito acima mencionado e entesourar uma nova forma de perceber as verdades que estão introduzidas nos símbolos e não percebidas pela mente racional, por causa do tal efeito “einstellung” (aceitar as coisas dentro do que a mente já estabeleceu, sem compreender que existe uma verdade para cada nível consciencial existente dentro dos vários planos da criação!). 
Estampamos, em seguida, algumas frases existentes em livros religiosos que dizem muito mais do que a primeira leitura pode trazer, como procuramos explicar sucintamente e, também, alguns símbolos em forma de imagens que podem facilmente provocar insights à mente aberta, com suas explicações mais sutis, porém mais próximas da mensagem real que o estudante deve acessar, a fim de incentivar a compreensão das milhares de frases existentes na Bíblia, no Evangelho, no Bhagavad Gita, no  Alcorão e nos livros de alquimia em geral:

Palavras e frases simbólicas:
Gólgota = Caveira, Crâneo, onde, simbolicamente, a Vida (Cristo = “O EU SOU o caminho, a verdade e a Vida”, “O EU SOU é o Pão (alimento) da Vida”) é crucificada. É importante notar que O EU SOU é o Ser Interno e é ELE QUEM É CRUCIFICADO NA CRUZ (corpo) HUMANA.
Arca de Noé = O corpo humano do homem atual. Antes, a forma do que hoje é o ser humano era bastante animal, em seus apetites e capacidade de utilizar a mente.
Cruz = O corpo humano, o Chacra raiz ou básico.
Rio Jordão = Medula Espinhal.
Krisna = O Condutor da carruagem de Arjuna no Bhagavad Gita = O Cristo Interno encarnado, O Íntimo, A carruagem é o corpo humano e Arjuna a personalidade.
Estatura de Cristo = As 33 vértebras da Coluna Vertebral. 
Nazareth = Significa "Aquele que se consagra". Jesus de Nazareth = Jesus, o que se consagrou. (Uma das centenas de erros históricos da bíblia é a referência de uma cidade na Galiléia com o nome de NAZARÉ. Esta cidade não existia no tempo de Jesus. No Velho Testamento também não há nenhuma referência sobre, nem mapa. O nome mais parecido de uma cidade era EN-NASIRA, descoberta no século III e que foi REBATIZADA como NAZARÉ. Mesmo assim era apenas um lugarejo e sem sinagoga ou edificação onde Cristo poderia pregar à multidão).




São Jorge = O Cavalo Branco SIMBOLIZA o corpo purificado do Iniciado, Sua armadura é o símbolo do Corpo Causal, ou Moradia do Eu Superior (Alma ou Átomo Nous). A lança é o coluna vertebral com seus centros de força desenvolvidos, o Dragão é o Inimigo Secreto, última luta que o Iniciado trava para vencer a Batalha de Kurukshetra dentro de si mesmo; o penacho vermelho em seu elmo e a capa vermelha é sinal de que despertou o Fogo Solar (Kundalini); a gruta ao lado ...



Olhando-se a cabeça do Baphomet, descobre-se que Eliphas Levi utilizou as 4 vértebras soldadas da coluna vertebral (cóccix) para desenhá-la, porém acrescentando-lhe o jorro do fogo serpentino (kundalini) saindo da parte superior dessas vértebras e outros símbolos que estão encobertos nesta gravura.




Três figuras alquímicas com um homem e uma mulher unidos aparentemente na região sexual. Geralmente estas figuras são interpretadas como tendo por base a cópula para fazer com que a Energia Solar (Kundalini) suba para os centros superiores. A verdadeira intuição nos dá a compreensão correta. Tente descobri-la!



Já estamos vivendo na Era de Aquário anunciada simbolicamente(*) há 2.000 anos atrás no Evangelho de Lucas (cap. 22-versc. 7:13) com as seguintes palavras:
“Chegou o dia dos pães asmos em que importava comemorar a páscoa... Então lhes explicou Jesus: Ao entrardes na cidade encontrareis um homem com um cântaro de água: segui-o até à casa que ele entrar, e dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde é o aposento no qual hei de comer a páscoa com os meus discípulos?

Ele vos mostrará um espaçoso cenáculo mobiliado; ali fazei os preparativos. E, indo, tudo encontraram como Jesus lhes dissera e prepararam a páscoa”. (Veja neste Blog a postagem O MOMENTO ATUAL DA HUMANIDADE E O OBJETIVO SUPERIOR DA MAÇONARIA E DAS FRATERNIDADES ROSA-CRUZ).

Bem, sabemos que páscoa significa “passagem” e que o cenáculo mobiliado é o Zodíaco e “Casa” é o signo de Aquário, onde o Mestre “comerá” a Páscoa conosco. Perguntamos: Estamos já na condição de discípulos?

Ficamos à disposição para perguntas sobre este tema, fundamental para a percepção além da mente.

  Panyatara

 

(*) Tanto os Evangelhos como o Pentateuco estão saturados de frases simbólicas que só serão entendidas através do desenvolvimento da intuição.