Um pouco sobre mim

Minha foto

Tendo exercido atividades nas áreas de Administração de Bens, jornalismo, marketing, agricultura e mineração. Atualmente se dedica a produção de livros, tendo traduzido para o idioma português as obras: "Os Deuses Atômicos", "O Irmão Branco", "Fraternidade" e "AUM". É de sua autoria "O Livro da Lei para o Povo Suplicante". Pratica Astrologia Esotérica, ocultismo e exerce atividades como: escritor, palestrante e atividades sociais.

Idiomas

English French German Spain Italian Dutch Russian Hindi Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Um pouco sobre o Blog ...

Este Blog abrange todo o nosso aprendizado nestes 54 anos de estudos onde percorremos as escolas compreendidas pelo espiritismo, cristianismo, teosofia, budismo, zen-budismo, hinduísmo, rosa-crucianismo e gnose, não descurando da astrologia, astronomia e todas as ciências físicas com suas derivações.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Início de um estudo sobre o Evangelho

Prezados Leitores,
Artigo iniciado por Panyatara, mais um estudo para nossa reflexão e para nossa busca pela sabedoria espiritual. Infelizmente esse texto está inacabado. Minha sugestão é que ao entrarem em contato com o mesmo,  façam uma reflexão e meditem sobre o que ele tentou passar nas entrelinhas.
Este artigo é o início de uma palestra que ele iria proferir na "Aliança da Fraternidade", sobre o assunto "Evangelho". Para Panyatara, o tema evangelho, é um tema iniciático, ele dizia que: "a Bíblia é iniciática" e que precisávamos aprender a interpretá-la, para que possamos nos libertar da escravidão religiosa a qual nos foi dada há dois mil anos atrás.

Façam uma boa leitura e com atenção, para que os mistérios nele contido sejam decifrados... tudo está dentro de nós.
Paz e luz! Theano







"Você não pode ensinar nada a um homem; você pode apenas ajudá-lo a encontrar a resposta dentro dele mesmo." (Galileu Galilei).

Meu propósito aqui, esta noite é tentar ajudar os presentes a compreenderem que são Deuses encarnados e que devem abandonar suas limitações impostas pelas religiões organizadas, cujo objetivo tem sido “facilitar” nosso entendimento da Divindade, trocando a verdade ensinada pelos Grandes Instrutores da Humanidade pela ignorância que nos advém da zona de conforto que oferecem desde que deixemos que pensem por nós.
A meta de todas as religiões é a realização de Deus em nosso âmago. Esta é a religião universal. Se existe uma verdade universal em todas as religiões, ei-la: vivenciar Deus. Os métodos e ideais podem ser diferentes, mas tornarmo-nos cônscios de Deus é o ponto central. Podem existir milhares de raios, mas todos convergem para um mesmo centro: a realização de Deus.”
Se nossa existência não está dedicada a esta obra, estamos jogando fora uma encarnação e fraudando o propósito do Cristo em nosso coração.

O aviso abaixo antecedeu a Mensagem Libertadora do Cristianismo, mas deveria ser meditada em cada trecho pois sinaliza um convite  à nossa iluminação.
Te advirto, quem quer que sejas, Tu que desejas sondar os Mistérios da Natureza.Como esperas encontrar outras excelências, se ignoras as excelências de tua própria casa? Em Ti, está oculto o tesouro dos tesouros.Homem, Conhece-te a Ti mesmo e conhecerás o Universo e os Deuses."

Em Lucas, 17:21, O mestre Jesus afirma: “O Reino de Deus está dentro de vós!”
Já se perguntaram onde?

Em João, 14:12. Afirma: “Vós sois deuses e ainda em João, 10:34. Assegura: “Vós podeis fazer o que eu faço e muito mais
Pergunto: Vocês acreditam nas palavras de Jesus ou acham que estava mentindo?

Todos sabemos que Paulo de Tarso foi escolhido, por causa de sua cultura e adiantamento espiritual, para a Obra de implantação do Cristianismo na face da Terra; que depois de iluminado, nos deixou revelações muito interessantes que a maioria dos estudantes ignora, por não compreender que a Paulo caberia o maior exemplo do ensinamento da fé para os seguidores da Doutrina Cristã.
Podemos ver em suas cartas, além de uma sabedoria que transcende até mesmo os ensinamentos da Cabala, onde foi Mestre, uma postura iniciática na qual demonstrou o por que de sua inclusão na propagação do Cristianismo do Cristo, que poderia ficar incógnito se não fosse sua sinceridade perante a visão do Cristo que experimentou na Estrada de Damasco.

I - Coríntios 6.19 - Acaso não sabeis que o vosso corpo é o santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus e que sois de vós mesmos?

II - Coríntios 4.16 - Por isso não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior corrompa, contudo o nosso homem interior se renova de dia em dia.

Romanos 7.19 - Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.

Romanos 7.22 - Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus, mas vejo nos meus membros outra lei que guerreando contra a lei de minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros.

Efésios 3.16/17 - para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior; e assim habite Cristo nos vossos corações, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados no amor.

I - Pedro 3.4 - seja, porém o homem interior do coração unido ao incorruptível de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus.

Segundo definição dada por um Espírito, Ele Jesus médium de Deus. (gênese de Kardec – final da página 205)
...mas, a pureza do perispírito de Jesus permitiu que seu Espírito lhe desse um brilho excepcional. (Gênese pág. 221)

De todas as aptidões que Jesus revelou, nenhuma se pode apontar estranha às condições da humanidade e que se não encontre comumente nos homens, porque estão todas na ordem da Natureza. Porém, pela superioridade da sua essência moral e de suas qualidades fluídicas, aquelas capacidades atingiam nele proporções muito acima das que são comuns. Posto de lado o seu envoltório carnal, Ele nos mostrava o estado dos puros Espíritos. (Gênese pág. 221)

Jesus lhes respondeu: "Na verdade, digo a vocês que Moisés não lhes deu o pão do céu; meu Pai é quem dá o verdadeiro pão do céu, porque o pão de Deus é aquele que desceu do céu e que dá vida ao mundo". (Gênese pág. 224) 

EU SOU O PÃO (o alimento) DA VIDA.

193

Disse então Jesus a seus discípulos: "Se algum quiser vir nas minhas pegadas, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me; — porque aquele que quiser salvar a vida a perderá e aquele que perder a vida por amor de mim a encontrará de novo.
De que serviria a um homem ganhar o mundo inteiro e perder a alma? Ou por qual preço o homem poderá comprar sua alma, depois de tê-la perdido? Porque, o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com seus anjos, e então dará a cada um segundo as suas obras.
Na verdade, digo a vocês que alguns daqueles que aqui se encontram não sofrerão a morte, sem que tenham visto vir o Filho do homem no seu reino" (Mateus, 16:24 a 28).


Andai enquanto tendes a luz para que as trevas não vos apanhem. Enquanto tendes a Luz crede na Luz, para que vos torneis filhos da Luz. O Cristo disse estas coisas e, desaparecendo, ocultou-se deles. (João 12:35 e 36).

Bioluminescência também em humanos
A bioluminescência não é só para águas-vivas e para o notório e assustador peixe-pescador (tamboril).
Humanos também emitem luz.
Na verdade, todas as criaturas vivas emitem luz. Os cientistas dizem que a luz é resultado de reações bioquímicas metabólicas, embora não seja visível.
Em 2009, uma equipe de pesquisadores japoneses relatou que o corpo humano literalmente brilha, depois de usar câmeras incrivelmente sensíveis (a luz é mil vezes mais fraca que o olho humano é capaz de perceber) para capturar a primeira evidência de bioluminescência humana.
Porém, o que os cientistas não podem ainda admitir é que as reações bioquímicas que produzem nossa luminescência são provenientes da Luz imarcescível que criou o Universo e se manifesta como uma centelha no ventrículo esquerdo coração do ser humano. Utilizando um átomo de alta evolução (Átomo Nous), essa Luz cria uma imagem do Deus em cada um de nós e é ela que nos dá a Vida para cumprirmos seu propósito, que fazemos questão de ignorar, jogando existências e existências fora.





                   Pois todos nós morreremos um dia (passaremos para outros planos de manifestação da vida) e esta fase de nossa existência, além de não dar direito a um retorno com o mesmo corpo para justificar erros e enganos, nos leva, muitas vezes, para estados de sofrimento tenebroso por causa das escolhas que fizemos nesta vida, principalmente aquelas retratadas nos seguintes trechos de Mateus 7:15 e 7:19,20: “Acautelai-vos dos falsos profetas que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes. Toda árvore que não produzir frutos bons é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis”.

A religião da Nova Era é o conhecimento de si mesmo baseado na instrução de que “O EU SOU É A LUZ DO MUNDO”. O desenvolvimento de nossa percepção interna, nos permitindo reconhecer que cada Ser humano é um Deus em ação afastará nossa vida da dependência de outras mentes e estabelecerá um mundo de fraternidade e cooperação entre todas as criaturas, porque este conhecimento fará com que os “ismos” religiosos percam sua utilidade e desapareçam da face da Terra. A escravidão religiosa atrasa o desenvolvimento espiritual do Ser humano. Com a libertação conquistada, as energias da Árvore Qliphótica (não são seres!) não encontrarão mais guarida na vitalidade existente no campo áurico dos seres humanos e, por causa disso, perderão seu poder de proporcionar as ilusões que afastam o Ser Humano da Verdade (Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará! – João 8:32).

                (somos andróginos por natureza – Gen.1:26: Façamos o homem (o ser humano) a nossa imagem e semelhança). Inclusive seus aparelhos genitais são caracteristicamente similares, a mulher possuindo até mesmo um pênis atrofiado, que é o seu clitóris, e é somente desenvolvendo a harmonia transcendente dentro de si mesmo, através do conhecimento dos ares internos (os externos são os 5 Tattwas) que Kundalinî pode ser despertada. O Tantra iluminador pode ser compreensível no trecho evangélico de Mateus (19:12) no texto: “Porque há eunucos de nascença; há outros que os homens fizeram tais e há outros que a si mesmo fizeram eunucos por causa do Reino dos Céus. Quem é apto para o admitir, que o admita!.

Muitos falsos profetas se levantarão e seduzirão a muitas pessoas; e, porque a maldade se espalhará, a caridade de muitos esfriará; mas, aquele que perseverar até o fim será salvo. E este Evangelho do reino será pregado em toda a Terra, para servir de testemunho a todas as nações. É então que o fim chegará (Mateus, 24:11 a 14).

“Há muitas coisas que ainda não posso lhes dizer, porque não as compreenderiam” – Gênese, por Kardec, pag. 260
“Gravitar para a unidade divina: esta é a meta da humanidade. Para atingi-la, três coisas são necessárias: a justiça, o amor e a ciência; três coisas são opostas e contrária: a injustiça, o ódio e a ignorância. Pois bem! Eu vos digo, em verdade, que falseais esses princípios fundamentais, comprometendo a ideia de Deus ao exagerar uma severidade que Ele não tem”. Livro dos Espíritos, pág. 273.

Por que se diz Jesus de Nazaré, se a cidade de Nazaré não existia no tempo de Jesus? Jesus muitas vezes é chamado de Nazareno ou de Nazaré, mas até o ano 326 DC não existia a cidade de Nazaré. Nos tempos de Jesus existia um grupo comunitário que era chamado de Nazarenos. Diz que Sansão fez os votos Nazarenos, assim como Paulo de Tarso após sua conversão que consistia de não cortar os cabelos.
Uma das seitas do povo judeu era formada pelos nazoreanos ou nazarenos. Este último termo foi usado para identificar Jesus. Mas, dizem os autores:
Realmente, a versão original grega do Novo Testamento se refere a "Jesus, o Nazareno", expressão mal traduzida como "Jesus de Nazaré". Nazareno, em suma, diz respeito a uma seita, sem conexão com Nazaré. E há mais, é que existem dúvidas consideráveis a respeito da própria existência da cidade de Nazaré no tempo de Jesus. Ela não aparece em mapas romanos, documentos ou registros e não é mencionada no Talmude. O nome de Jesus tornou-se associado a ela em virtude de confusão semântica acidental ou deliberada. Depois existem ainda relatos sobre os tais votos nazoreanos, nazarenos ou nazários e o juramento nazário no qual a pessoa deveria ir para o deserto 40 dias e 40 noites a fim de combater os seus demônios pessoais e obter esclarecimento sobre alguma questão que a atormentasse.

É interessante observar que todos os Grandes Seres que vêm à Terra com uma missão transcendente são gerados também de uma forma incomum. Como exemplo temos: Hércules era filho de Zeus (o chefe dos Deuses do Olimpo grego) e de Alcmena, uma mulher terrena; Sansão, como vimos acima; Jesus, como todos sabem, Maria, sem ter coabitado com José, achou-se grávida pelo Espírito Santo, Merlin, cuja mãe, filha do Rei Demétrio cedeu a insistência de um belo jovem que lhe aparecia exclusivamente com o objetivo de engravidá-la, etc. etc...

Sansão era nazireu e Jesus nazareno; não é muita coincidência?


Artigo inacabado em 21 de junho de 2015
Panyatara
 




Um comentário: