Um pouco sobre mim

Minha foto

Tendo exercido atividades nas áreas de Administração de Bens, jornalismo, marketing, agricultura e mineração. Atualmente se dedica a produção de livros, tendo traduzido para o idioma português as obras: "Os Deuses Atômicos", "O Irmão Branco", "Fraternidade" e "AUM". É de sua autoria "O Livro da Lei para o Povo Suplicante". Pratica Astrologia Esotérica, ocultismo e exerce atividades como: escritor, palestrante e atividades sociais.

Idiomas

English French German Spain Italian Dutch Russian Hindi Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Um pouco sobre o Blog ...

Este Blog abrange todo o nosso aprendizado nestes 54 anos de estudos onde percorremos as escolas compreendidas pelo espiritismo, cristianismo, teosofia, budismo, zen-budismo, hinduísmo, rosa-crucianismo e gnose, não descurando da astrologia, astronomia e todas as ciências físicas com suas derivações.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

TÉCNICA DA PRESENÇA (Ou como combater as ilusões)



A técnica da Presença consiste em fazer que a ALMA assuma o controle da personalidade integrada e de suas relações horizontal e vertical.

Esta técnica consiste na abertura da flor da intuição (o chacra do coração) que dissipa a ilusão, revela o Anjo (o “Eu Sou”), indica a Presença (Deus, A Divina Centelha no homem) e abre, ao discípulo, o mundo das ideias e a porta para as iniciações superiores.

Quando o discípulo capta e aplica estas ideias divinas ou pensamentos sementes, se converte num verdadeiro iniciado.

Esta técnica está relacionada com a Agni Ioga e, quando é satisfatoriamente seguida, permite que a intuição aflua, e, substituindo a atividade da mente racional, dissipe a ilusão, substituindo-a por ideias divinas formuladas em conceitos que chamamos ideias.

Para chegar a realizar em si esta técnica, o estudante deve ter em conta ou considerar três fatos como realidades:



1) a existência da intuição como percepção superior a razão e acima da lógica;

2) a realidade da ilusão, seja qual for o estágio da percepção mental correta;

3) a influente Presença (a intuição é quem revela esta Presença por meio do Anjo, e quando Esta é revelada e reconhecida, põe fim a ilusão).


As etapas preliminares da Técnica são:


1ª A Evocação = produz-se quando se controla totalmente o “eu pessoal” (a personalidade), de maneira que esteja equipado para fazer contato com o Real.

2ª A Fusão = com a Alma (ou Anjo) que custodia o acesso à senda da evolução superior.

3ª A Meditação = que consiste em manter a mente firme na Luz da Alma.



Estas etapas devem preceder a todo o esforço para desenvolver a intuição. Isto pode demandar vários meses ou anos de cuidadosa preparação. Como estas etapas são próprias da disciplina da Agni Ioga ou Ioga do Fogo, é necessário que o estudante, antes de chegar a elas, tenha se preparado na Raja Ioga.

Para desenvolvermos a intuição e chegarmos a revelação, vamos procurar definir e compreender a ilusão, e como se processa a intuição:


1) A ilusão é necessária como prova e treinamento pela qual a humanidade deve passar para desenvolver o seu poder de discriminar (pares de opostos).

2) A ilusão se processa da seguinte forma:

a) a mente inferior se esforça por perceber a ideia e a registra cada vez com maior clareza.

b) A ideia percebida se transforma num ideal.

c) A mente inferior cria (corporifica) a forma da ideia. Nesse instante produz-se a ilusão. Depois disso vem a distorção da ideia, por várias causas.


3) A ilusão, como percepção da verdade mental interpretada pela personalidade (mente, emoção e sensação) e aplicada segundo seu critério, segue o caminho do engano, da cristalização e da informação errada.

4) Quando envolvida pelo sentimento (calor, vida), se torna excessivamente perigosa, porquanto uma forma mental fria do pensamento se torna uma entidade que possui poder vital e que tudo fará para se perpetuar. (Ler o livro “O Corpo Mental” de Arthur Powell – Editora do Pensamento).

5) A ilusão não pode ser enfrentada nem superada até que o homem tenha:

a) transladado o foco de sua consciência, ao Plano Mental;

b) trabalhado na tarefa de prestar serviço;

c) realizado, de forma consciente e fácil, o alinhamento com a Alma e estabelecido firmemente sua técnica de contato;

d) passado pela primeira iniciação.


Isto posto, estudemos rapidamente a Intuição. 

Em primeiro lugar, é preciso compreender que a intuição é, para o mundo de significados o que a mente é para os 3 mundos de experiência.

PLANOS DE CONSCIÊNCIA
TRÍADE ESPIRITUAL
Plano Divino
Plano Monádico
Plano Átmico


MUNDO DAS IDEIAS
Plano Intuicional


MUNDO DA EXPERIÊNCIA HUMANA
Plano Mental
Plano Emocional
Plano Físico




Melhor explicando, poderíamos dizer que a Intuição nada tem a ver com os 3 planos de consciência do Mundo da Experiência Humana, porém com as percepções da Tríade Espiritual e com o Mundo das Ideias.

Em uma volta mais elevada da espiral, a intuição é a expressão da Tríade Espiritual, relacionada com os níveis superiores da expressão divina, sendo o resultado da vida da Mônada – a energia que traz a revelação do propósito divino.

A intuição se processa da seguinte forma:


a) A revelação do propósito está presente na Tríade Superior.

b) A ideia do propósito é “vista” pela mente iluminada.

c) Desce e se reveste com substância do Plano Mental Superior.

d) A Alma lança sua Luz para cima e para fora e o homem torna-se consciente da revelação.

Isto explicado cabe aos intuitivos, então, aprender a empregar, controlar e compreender a faculdade de perceber espiritualmente, de isolar-se divinamente e de responder apropriadamente as características da intuição, que é um poder superior ao da mente, e uma faculdade latente na Tríade Espiritual.


Voltando agora à Técnica da Presença:

Após as 3 etapas preliminares (Evocação, Fusão e Meditação) prosseguem mais 3 etapas que devem ser plenamente compreendidas e constituir a base de uma prolongada cavilação e inteligente reflexão, levadas a cabo enquanto se realizam as ocupações e deveres diários e não somente em determinadas ocasiões:

1) Definido e sustentado esforço para perceber a Presença em todas as formas do Universo. (Este não é o caminho místico da aproximação amorosa e sentimental, porém, o do esforço para ver, principalmente na luz que o Anjo irradia, o ponto de Luz detrás de todas as aparências fenomênicas, transferindo, da visão mística, à percepção a níveis superiores, onde um Sol mais radiante se revela como uma visão ainda mais maravilhosa: a da Divina Presença).

2) Depois, havendo percebido a Presença – não teoricamente, mas em vibrante resposta a sua existência – vem a etapa em que se assegura qual é o Propósito. (Obs.: A esperança de identificar-se com o Propósito, acha-se ainda muito longe para o Iniciado comum de categoria inferior a de um Mestre).

3) Então, submete à "Tríplice Luz" da intuição algum problema mundial ou algum plano para ajudar a humanidade, desenvolvido em sua mente ou desejado por seu coração. Quando isto se realiza com facilidade, mediante a concentração e uma longa prática, produzirá dois resultados:

a) Aparecerá repentinamente na mente alerta do Discípulo ou Aspirante, a solução do problema ou a sugestão que necessita para ajudar a humanidade. (Obs.: A intuição nunca está relacionada com os problemas ou inquietudes pessoais como muitos Aspirantes autocentrados acreditam, por ser puramente impessoal e só aplicável à humanidade em sentido sintético. 

b) O Discípulo tem uma visão, ouve uma voz, registra uma mensagem ou algo muito superior a tudo isto e se converte num canal de poder e luz para o mundo, numa personificação consciente da Divindade ou num Custódio de um princípio divino.

As etapas prévias à revelação acima se denominam:

1) Renúncia a seguir o caminho superior.

2) Retorno ao Anjo, ou reenfocamento na Alma.

3) A pausa, ou o intervalo para o pensamento construtivo, influído pelo Anjo.

4) Aplicação da mente na formulação dessas formas de pensamento que devem “corporificar” a revelação.

5) Depois, a “pausa que precede a apresentação”.

6) A apresentação da revelação ou da verdade revelada e sua precipitação no mundo da ilusão. (Nesse mundo sofre a “prova ardente”, onde “passa a prova de fogo”), e:

a) uma parte do fogo dentro daquilo que é revelado regressa à fonte de origem.

b) Outra parte serve para destruir o revelador;

c) E ainda outra parte consome aqueles que reconhecem a revelação.


Esta é a etapa do Agni Ioga que corresponde a aqueles que podem penetrar além do lugar onde está o Anjo e chegar ao “lugar em que mora o fogo”, onde Deus, a Divina Presença, atua como fogo consumidor e espera a hora da revelação total. Esta é, também, a transcrição simbólica de uma grande verdade. No caso do Iniciado individual, a terceira Iniciação (a Transfiguração) assinala a consumação do processo. Só então a glória é vista; a voz da Divina Presença é ouvida e a união com o passado, com o presente e com o futuro é alcançado.

Finalizando, verificamos que muitas vezes a Revelação sucumbe a ilusão prevalecente, desce ao mundo das miragens e desaparece, por conseguinte, como revelação, aparecendo no mundo físico como uma doutrina. Entretanto, apesar disso, a humanidade não deixou de ser ajudada e conduzida adiante; os intuitivos continuam com seu trabalho e a afluência daquilo que é para ser revelado não cessa nunca.

A Tríplice Luz é:

a) a luz formada pela fusão do eu pessoal, enfocada na mente;

b) a luz da Alma enfocada no Anjo;

c) a luz universal emitida pela Divina Presença.


Panyatara
19 de julho de 2000












Nenhum comentário:

Postar um comentário